Dia 7: Amizade

Existem momentos na vida de todos nós em que a sensibilidade e valorização das pequenas coisas ganham uma importância gigantesca. Por vezes, basta um “bom dia!”, um “olá!” ou “como está?” para mudar o nosso dia ou o dia de quem recebe a atenção.

Um pequeno gesto, aparentemente insignificante, pode transformar completamente as vivências que possamos ter num dia de trabalho. Um pequeno elogio basta para ajudar a enfrentar as adversidades com força e coragem.

Tudo isto se tem de um amigo. Os amigos não nos falham e são muitas vezes o suporte nos momentos difíceis da vida; são o ombro que está sempre disponível para o que for preciso.

Os verdadeiros amigos alimentam uma relação de amizade onde abundam afetos, onde existe absoluta confiança, onde há espaço para confidências, para preocupação e entreajuda. Os laços de uma verdadeira amizade não se quebram nem com a distância nem com o tempo.

A amizade é aquele sentimento que pode passar despercebido, mas quando algo acontece se mostra prontamente e nos leva a atuar sem hesitar. É um sentimento de proximidade, de cumplicidade e afinidade que permite dizer a verdade mesmo que magoe, porque se sabe ser o melhor para essa pessoa.

O Amigo é muitas vezes o “pensamento racional” necessário à resolução dos problemas, que mostra a relativização dos acontecimentos, muitas vezes encarados como destrutivos e incapacitantes. Os amigos são a coragem que por vezes não temos, o impulso que precisamos para seguir em frente.

A beleza da amizade vê-se em momentos de sofrimento, mas também em momentos de alegria, porque esses mesmos amigos que estão nas horas más também estão nos momentos de felicidade. Nos aniversários, nas comemorações, em viagens e de uma forma muito especial no Natal.

No Natal, todo o ambiente criado apela aos sentimentos, às emoções, a risadas ou gargalhadas, a recordações, a troca de memórias e lembranças dos momentos vividos em cumplicidade. Sim, a amizade vale a pena! É insubstituível e eterna, por isso não podia deixar de abordar o tema neste Advento de Natal de 2019.

Vítor Augusto Mineiro

Sou natural do Concelho de Santarém, onde resido, e sou Professor de Matemática. Em novembro de 2000 obtive o 1.º grau de Reiki Usui Shiki Ryoho e em 2017 tornei-me Facilitador de Cura Reconectiva®. Desde muito cedo procurei respostas para as muitas perguntas que surgiam em mim, e por isso mesmo nunca aceitei uma visão materialista e fatalista da vida. Esta tornou-se uma oportunidade para crescer e ir mais além na descoberta da minha verdadeira identidade. O eu que eu julgo ser, não sou Eu, mas sim uma ilusão do ego. Sou administrador do blogue: https://curareconectivamineiro.blogspot.pt/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin