Chaves da Consciência: Viver em Verdade

Uma das maiores descobertas/revelações ou tomada de consciência que tive no decorrer da minha Jornada do Despertar foi que não existem Verdades Absolutas. Para alguém que não “tolerava” o cinzento, que considerava que era tudo preto ou branco, foi um grande salto na minha evolução pois permitiu-me ser/ter mais compaixão por mim, pelo próximo e pela Vida.

O conceito de Verdade é algo que ainda é debatido nos dias de hoje. De um modo geral, podemos dizer que Verdade é a “propriedade  de estar de acordo com a realidade”. É aqui que está a questão principal: a minha realidade é diferente da vossa, assim como a vossa realidade é diferente daqueles que estão à vossa volta. Portanto, a Verdade é diferente para o Observador e para o Observado. Isto é, quando existe alguma experiência que é comum a um grupo de pessoas, esta vai ter significados/verdades diferentes para quem a experiência e para quem observa a mesma.

O conceito de “Viver em Verdade” remete para viver a Vida de acordo com a verdade interna de cada um; de acordo com os valores e crenças individuais; de estar em consonância com o coração. “Viver em Verdade” significa viver em constante mutação, em constante crescimento e evolução, já que as crenças e valores vão sendo alterados à medida que se vai descobrindo quem somos na realidade.

Um dos maiores paradoxos atuais é esta falta de consonância entre o que expressamos e o que acreditamos, entre o que emanamos para fora e o que está dentro de nós. Quando isso acontece, então estamos num eterno conflito e o que atraímos para a nossa Vida são situações antagónicas que nos vão proporcionar chaves de realinhamento com a nossa verdade interna. Se este conflito persistir por muito e muito tempo, podemos acabar por somatizá-lo em forma de alguma doença como uma última chamada de atenção.

“Viver em Verdade” é capaz de ser um dos processos mais desafiantes que encontramos na nossa Jornada, pois implica estar em constante mudança e aceitar essa mudança nos outros. É estar sempre em realinhamento, pois cada vez que atingimos uma verdade interna, vem algo que a desfaz e nos pede uma nova abordagem, que nos pede para vermos algo de um outro ponto de vista, com outra consciência.

Agora a pergunta é: Como é que eu sei que estou a viver de acordo com a minha verdade interna? A resposta é: Quando olhas para alguma área da tua vida, por exemplo, para os relacionamentos e o que sentes é algo como paz, tranquilidade, serenidade, alegria, entre outros, então a resposta é SIM! Se o que sentes for uma outra emoção mais desafiante, como angústia, tristeza, resignação, entre outras, então a resposta é NÃO! Neste caso, para por uns momentos para refletir, para olhar para esse relacionamento e vê com os olhos internos, que mentiras estás a contar a ti próprio, que verdades não queres ver,… E que crenças e valores internos estão a sustentar essas verdades que contas a ti próprio e que te impedem de experienciar a paz, tranquilidade, serenidade e alegria.

Avalia este artigo

Rosália Ramos

Sou Terapeuta Multidimensional e Facilitadora do Despertar. Através de vários conhecimentos que adquiri ao longo da minha jornada de aprendizagem e de diversas ferramentas energéticas e multidimensionais que possui-o, auxilio a integração de todos aspectos e/ou partes que nos compõem (o corpo físico, os nossos corpos sutis e em outras experiências de vida), promovendo o alinhamento com a Essência Primordial. Hoje sou a melhor versão de mim própria; sou uma eterna buscadora do Ser; uma aprendiz em evolução. Nem sempre foi assim. Grande parte da minha vida andei perdida, sem rumo ou meta, respirando por respirar… Foi uma perda, que hoje considero uma bênção. Bênção essa que me levou a questionar todo o rumo que estava a dar à minha vida e me abriu as portas para este alinhamento contínuo do Ser. Acredito que somos Seres em evolução e que vivemos num Entrelaçamento Multidimensional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

0 Part.
Partilhar
Twittar
Partilhar
Pin