A importância do ato de “soltar” o desejo

Através do Documentário e Livro “O Segredo” da escritora Rhonda Byrne, a Lei da Atração popularizou-se mundialmente, acordando inúmeras pessoas para um poder que lhes foi concedido gratuitamente – a mente. Descobriu-se que a mente possui um poder inimaginável, o qual é possível de trazer-nos o que desejarmos, entretanto, para isso, devemos nutrir uma fé inabalável, pois é, através dela e do sentimento, que o desejo solicitado toma forma na realidade física.

A primeira vez que tomei em mãos este livro, fiquei bastante maravilhada com o poder que eu tinha em mãos e nem sequer tinha conhecimento. A autora descreve que para obtermos o desejo solicitado devemos realizar três etapas – Desejar, Visualizar e Soltar. Desejar parece-me o ato mais simples; em seguida, devemos visualizar-nos já em posse do desejo realizado e alegrar-nos na concretização, ainda que mental, do mesmo; por fim, devemos soltar o desejo para o Universo, sem preocupar-nos em como o conseguiremos. A certeza absoluta da sua realização já é suficiente e um único pensamento negativo obstrui todo o processo de cocriação.

No entanto, o que não fica muito claro no livro/documentário, pelo menos para mim, é o desafio que estas etapas nos trazem, pois nutrimos inúmeras crenças limitantes conscientes e inconscientes que tornam, infelizmente, alguns desejos  mais desafiantes de cocriar, como no caso de dinheiro e liberdade financeira. Para além dos obstáculos das crenças limitantes, a última etapa, a meu ver, é a mais desafiante, pois nem sempre é fácil “soltar” o desejo já na crença absoluta de que ele está realizado.

Neste sentido, como também era a etapa mais desafiante para mim, muito investiguei em minha jornada quântica, o que seria exatamente este famoso “soltar” e muito resumidamente conclui que soltar pode ser esquecer o desejo já na fé de que ele realizou-se ou permanecer a visualiza-lo enquanto goza de profunda alegria e gratidão em tê-lo. Aprendi que devemos guiar-nos pelos caminhos de menor resistência, sendo assim, se esquecer eu não conseguia, pois sentia-me profundamente ansiosa, optei por permanecer a visualizar meu desejo na alegria profunda de já tê-lo. A visualização é a etapa mais prazerosa e que permite-me “soltar” o meu desejo; assim, por este caminho de menor resistência, realizo minhas cocriações positivamente!

Logo, a atitude de “soltar” além de ser a mais desafiante, é a primordial ao alcance do que desejamos. Soltar o desejo é ter a certeza de que ele está pronto para recebermos e ter a fé absoluta de que o Universo moverá toda a mecânica quântica para nós. Portanto, peça, acredite, solte e será atendido!

Catarina Muniz

Licenciada em Psicologia, Mestre em Psiquiatria Social e Cultural e atualmente Doutoranda em Estudos Feministas pela Universidade de Coimbra. Sou apaixonada desde os 16 anos pelos mistérios quânticos da Lei da Atração, a qual conheci através do Livro e Documentário “O Segredo” de Rhonda Byrne. A partir deste momento, estudei Joseph Murphy e sua teoria sobre O Poder do Subconsciente e percebi que compreender a interação entre o Universo e nós me fazia sentir uma paixão profunda, de modo que há um ano retornei intensamente aos estudos da Física Quântica e da Espiritualidade. Mergulhei em novas e instigantes leituras, as quais me fizeram perceber que o poder está em nós e que somos cocriadores da nossa realidade a todo o tempo, pois estamos em um emaranhado quântico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0 Compart.
Twittar
Compartilhar
Compartilhar
Pin